“Protagonismo do judiciário é fenômeno mundial”